Uopeccan usa impressora 3D para fabricação de peças e suporte de máscara

A equipe da engenharia clínica da Uopeccan passou a contar com uma nova aliada para construir protótipos: uma impressora 3D. O equipamento está sendo utilizado para a impressão de peças de diversos setores do hospital de Cascavel e Umuarama. Vitor Augusto Resende Campos, técnico em manutenção de equipamentos médicos hospitalares, contou que já foram produzidas algumas peças substitutivas, como tampas para botões e invólucros para circuitos elétricos.

“Alguns equipamentos têm o custo elevado e os acessórios não são vendidos separadamente, por exemplo, a perneira pneumática, que ajuda evitar a trombose e melhora a circulação sanguínea. Ainda estamos em fase de teste, mas conseguimos imprimir um conector de mangueira para esse aparelho, se fosse comprar custaria cerca de R$ 300, mas feito por aqui sairá por R$ 1,80. O material que utilizamos para impressão é o PLA, um rolo de um quilo custa em torno de R$ 90, dependendo da peça utilizamos 100 gramas no máximo”, explica.

 O setor é responsável pela gestão dos equipamentos médicos, desde análise da necessidade da compra do aparelho até a realização do treinamento para equipe multiprofissional, ou caso houver necessidade o fornecedor realiza as orientações do uso. Para garantir a segurança aos pacientes é feito uma revisão periódica preventiva dos aparelhos. “Cada equipamento exige manutenções periódicas diferentes, como calibração e preventiva. Além da manutenção corretiva, quando o mesmo estraga, a engenharia resolve o problema, se for possível utilizar é feito o conserto e depois volta ser utilizado. Caso ao contrário, se precisar de mão de obra especializada é contratada terceiros para o reparo”, destaca Vitor.

 

Suporte de máscara

A impressão do suporte de máscara é feita no software, que leva em torno de 30 minutos até uma hora para fazer uma tira do material, possibilitando a criação de protótipos de forma muito mais rápida e com um custo menor. “Desde o início da pandemia, eu observei que os profissionais da saúde usam as máscaras por muito tempo, gerando desconforto. Então, decidi contribuir de alguma forma e criar esse protetor, onde eles podem prender os elásticos no suporte, evitando o desgaste físico”.

Quem aprovou o novo acessório foi a técnica em enfermagem, Rozangela Soares dos Santos. “Passo muitas horas com a máscara, com esse suporte dá até um descanso para minhas orelhas, e ainda é ajustado conforme a cabeça da pessoa e não machuca. Eu aprovei o material”, agradeceu.