Pacientes da Uopeccan recebem visita por videochamadas de grupo de palhaçaria profissional

A Trupe da Saúde, grupo de palhaçaria profissional que atua em ambientes hospitalares de Curitiba há 20 anos, agora passará a atender também a ala pediátrica no Hospital do Câncer Uopeccan de Cascavel. Todas as quarta-feiras, crianças e adolescentes do hospital terão encontros com as palhaças e palhaços da Trupe, que, por meio da arte, oferecem conforto e apoio a profissionais de saúde, pacientes e familiares.

Em decorrência do isolamento social, o grupo adaptou suas visitas para o meio online, possibilitando atividades à distância. Os encontros que antes aconteciam presencialmente agora acontecem por videochamadas, que são realizadas por meio de um tablet, fornecido ao hospital pela Trupe por meio de uma doação de Juliana Feldmann. Com a ajuda da equipe de enfermagem o equipamento viaja pelos leitos de paciente a paciente, obedecendo aos procedimentos de higienização adequada entre um e outro. “Primeiramente foi uma surpresa, por que o  contato que a equipe teve foram com  crianças que tiveram diagnóstico recente, então no começo estavam todos muitos tímidos, mas aos poucos foram interagindo. Acredito que com essa dinâmica eles esquecem um pouco a dor e os  familiares ficam mais fortes psicologicamente para dar forças ao paciente”, relata Letícia Jacomel Dallagnol, que é enfermeira da Oncopediatria e acompanhou a primeira visita online.

A primeira experiência da Trupe da Saúde em Cascavel aconteceu em dezembro de 2019, quando a Trupe esteve em turnê pelo oeste do Paraná. Desta vez, graças à adaptação das atividades ao meio digital, o grupo pôde expandir suas atividades e fechar parceria com o Hospital do Câncer de Cascavel.  “Não é fácil para família lidar com o diagnóstico de um familiar com a doença. Durante o tratamento muitos têm o hospital como o lar. A nossa missão vai além de oferecer atendimento médico-hospitalar de qualidade, mas também a humanização para todos que buscam os nossos serviços. Pacientes, acompanhantes e profissionais são beneficiados com a atuação artística dos palhaços no ambiente hospitalar, levam uma dose a mais de esperança”, afirma a Gestora de assuntos institucionais da Uopeccan, Kelyn Aires.

A expansão das atividades da Trupe da Saúde para o interior do estado também é sinal de democratização do acesso à arte e à cultura, que muitas vezes é privilégio das metrópoles. “A cultura não chega com a mesma força nesta região do estado, que é um grande celeiro produtor da riqueza que sustenta o Paraná e o Brasil, mas fica carente de usufruir de diferentes manifestações artísticas”, alega o fundador da Trupe da Saúde, Ricardo Trento, que nasceu em Cascavel e foi criado em Medianeira. “Pessoalmente essa também é uma forma de retribuir a esse lugar que me formou e me deu tantas coisas”. Para Trento, as corporações da região têm papel fundamental no fomento de arte e cultura para a população local. “As empresas que produzem riquezas nesta região também podem direcionar seus impostos para fomentar esse aspecto do desenvolvimento que vem por meio da cultura, que é um direito que não pode estar restrito às grandes capitais”, afirma.