Mãe e filha confeccionam máscaras para doar para crianças em tratamento contra o câncer

O uso da máscara passou ser obrigatório com a pandemia da Covid-19, para frequentar locais públicos, comércios e hospitais. Algumas pessoas estão ocupando o seu tempo da quarentena para ajudar alguém, como é o caso da mãe, Elza Paiola Rotter, 94 anos, e a filha, artesã Rosa Angela Rotter, que decidiram produzir máscaras de proteção para as crianças em tratamento contra o câncer no Hospital do Câncer de Cascavel.

A ideia surgiu como forma de agradecimento pelo tratamento de câncer da dona Elza, realizado há 20 anos no Hospital do Câncer Uopeccan de Cascavel.  “A minha mãe faz parte do grupo mais suscetível para contrair o Coronavírus, preocupada com essa situação que enfrentamos nos últimos meses, ela está morando aqui em casa. Eu decidi ocupar o tempo dela com coisas que ela gosta, ouvir música e assistir filme. Quando vi a oportunidade de ajudar a Uopeccan de alguma forma, convidei a minha mãe para me ajudar na produção das máscaras e ela aceitou”, declara Angela Rotter.

O trabalho voluntário da fabricação das máscaras, ocorre na parte da tarde no ateliê. A Elza que fica com a tarefa de cortar as linhas e os elásticos. Segundo ela é uma honra ajudar na confecção das máscaras e ainda garantir a segurança aos pacientes em tratamento de câncer. “Eu sou muito grata a Uopeccan, quando eu precisei eles me ajudaram, agora é minha hora de retribuir todo cuidado que tiveram comigo”, enfatiza Elza Paiola Rotter.  Até o momento mais de 42 máscaras foram doadas para Uopeccan.

A gestora de Assuntos Institucionais da Uopeccan, Kelyn Aires, relata que mãe e filha realizam um trabalho excelente e com muito amor, “fiquei emocionada com a dedicação das duas, ficou impecável. Sou grata a Deus por conhecer pessoas maravilhosas como elas”.