Instituto Ronald McDonald em parceria com Hospital do Câncer Uopeccan ampliam conhecimento sobre o câncer infantojuvenil

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), no Brasil, hoje, as chances de cura do câncer em crianças e adolescentes são de 64%. Nos países com alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), os índices de cura podem chegar a 80%. Com objetivo mudar esse cenário no país, o Instituto Ronald McDonald, em parceria com o Hospital do Câncer Uopeccan de Cascavel leva o Programa Diagnóstico Precoce, já realizado em mais de 10 estados brasileiros, para a região Oeste do Paraná.

O projeto tem como objetivo de contribuir com o aumento da identificação precoce da doença em crianças e adolescentes por meio de capacitações de profissionais da Atenção Básica de Saúde, pediatras da rede SUS e privada, além de estudantes de medicina e de enfermagem para que possam desenvolver o olhar especifico para suspeitarem da doença e saberem como encaminhar para o diagnóstico, contribuindo também com a organização da rede de saúde na localidade. A oncologista pediátrica da Uopeccan de Cascavel, Carmem Fiori destaca que a parceria com o Instituto Ronald McDonald desde 2008, trouxe melhorias para saúde do estado do Paraná: “É um programa que veio para mudar a nossa realidade, nós estamos há 12 anos trabalhando nesse projeto e vimos resultados positivos, as crianças começaram vir com diagnóstico precoce, aumentando assim, as chances de cura. Infelizmente devido a pandemia do covid-19, o curso que era presencial passa agora a ser de forma online para alcançar não só os profissionais da saúde, mas também os alunos de Medicina e Enfermagem, assim como residentes de Pediatria”, ressalta a médica Carmem Fiori.

Há 22 anos, o Instituto Ronald McDonald atua com a missão de promover saúde, bem-estar e qualidade de vida para crianças e adolescentes antes, durante e após o tratamento da doença, aumentando as chances de cura do câncer infantojuvenil através de diversos projetos pelo Brasil, como o Diagnóstico Precoce do Câncer Infantojuvenil.

“O tempo entre a percepção de sinais e sintomas do câncer e a confirmação do diagnóstico são fundamentais para aumentar as chances de cura da doença. No Brasil, esse intervalo ainda é longo, o que leva muitos pacientes a chegarem ao tratamento já em fase avançada da doença, dificultando as chances de cura e os resultados positivos de tratamento, além do risco de deixar muitas sequelas nos pequenos pacientes. Por isso, com foco em levar conhecimento e formação especializada aos profissionais de saúde, desenvolvemos o Programa Diagnóstico Precoce”, destaca Francisco Neves, Superintendente do Instituto Ronald McDonald.

Disseminando conhecimento

Criado em 2008, o Programa Diagnóstico Precoce do Câncer Infantojuvenil do Instituto Ronald McDonald visa promover a identificação precoce da doença por meio de capacitações de profissionais da Atenção Básica de Saúde, pediatras da rede SUS e privada, além de estudantes de medicina e de enfermagem. Em 12 anos de programa, o Instituto Ronald já capacitou, em parceria com diversas instituições do Brasil, mais de 27 mil profissionais de saúde, sensibilizando os participantes sobre a importância dos sinais e sintomas do câncer infantojuvenil como auxílio para o aumento das chances de cura e como realizar o encaminhando dos pacientes para o diagnóstico. Ao longo desse período, o programa já impactou mais de 10 milhões de crianças e adolescentes em todo o Brasil. Em 2020, o programa, em uma versão totalmente digital, capacitou 742 estudantes de enfermagem e medicina e residentes em pediatria. Quer saber mais sobre o Programa Diagnóstico Precoce do Instituto? Acesse: www.institutoronald.org.br/.

As primeiras turmas de 2021 do Programa Diagnóstico Precoce iniciam nos dias 26 e 27 de abril, de forma online, das 16h às 19h, a expectativa desse ano é que 620 participantes realizem a capacitação. Se você é acadêmico de medicina ou residente de pediatria, venha fazer parte dessa rede de disseminação do conhecimento sobre sinais e sintomas da doença.

Faça a sua inscrição gratuita: Clique aqui

 

Temas abordados no Programa:

Módulo 1

Introdução – 15 min

Aula 1: Epidemiologia – 15 min

Aula 2: Sinais e sintomas de suspeição|Leucemias Agudas + casos clínicos – 30 min

Aula 3: Sinais e sintomas de suspeição|Linfomas + casos clínicos – 30 min

Aula 4: Sinais e sintomas de suspeição|Tumor SNC + casos clínicos – 30 min

Esclarecimento de dúvidas -1h

Módulo 2

Aula 5: Sinais e sintomas de suspeição| Massas abdominais + casos clínicos – 30 min

Aula 6: Sinais e sintomas de suspeição|tumores ósseos + casos clínicos – 20 min

Aula 7: Sinais e sintomas de suspeição|tumores de partes moles + casos clínicos – 20 min

Aula 8: Cuidados necessários à criança em tratamento de câncer – 20 min

Aula 9: Fluxograma (encaminhamento caso suspeito) x COVID – 20 min

Aula 10: Comunicação do diagnóstico – 10 min

Esclarecimento de dúvidas – 1 h

As chances de cura

A chance de sobrevivência média é estimada pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) em 64%. Porém, as chances não são as mesmas em todas as regiões do país. Conforme o levantamento feito pelo Inca, enquanto as chances médias de sobrevivência nas regiões Sul são 75% e na região Sudeste são 70%, nas Região Centro-Oeste, Nordeste e Norte elas são 65%, 60% e 50% respectivamente.

Sobre o Instituto Ronald McDonald

Organização sem fins lucrativos, o Instituto Ronald McDonald (IRM) há 22 anos atua para aproximar famílias da cura do câncer infantojuvenil e aumentar as chances de cura da doença. Para atingir esse objetivo, o Instituto Ronald McDonald trabalha promovendo a estruturação de hospitais especializados, a hospedagem para famílias que residem longe dos hospitais, a capacitação de profissionais da saúde para realizarem o diagnóstico precoce, incentiva a adesão a protocolos clínicos e promove disseminação de conhecimento sobre a causa. A ONG faz parte do sistema beneficente global Ronald McDonald House Charities (RMHC), presente em mais de 60 países, coordenando os programas globais: Casa Ronald McDonald, voltado para a hospedagem, transporte e alimentação dos pacientes; e o Programa Espaço da Família Ronald McDonald, que torna menos desgastante o dia a dia das famílias durante o tratamento. No Brasil, há ainda outros dois programas locais: Atenção Integral e Diagnóstico Precoce, com ações específicas de combate ao câncer infantojuvenil. O Instituto conta com o apoio de diversas empresas e pessoas físicas para desenvolver e manter seus programas. Saiba mais sobre os programas e as instituições beneficiadas em www.institutoronald.org.br.