Dia dos Pais: família conta como enfrentou a luta contra o câncer de paciente da Uopeccan

Quando pensamos em uma figura paterna, logo vem em nossa mente a imagem de um pai atencioso, de caráter integro e trabalhador, que está sempre atento para as necessidades da família e da casa. Mas de repente as coisas trocam de lugar e o inesperado começa fazer parte da rotina familiar. Na semana do Dia dos Pais, a Uopeccan conta a história de um paciente, que juntamente com a família enfrentaram o câncer.

Após diversos exames para realização de um implante dentário, Pascoal Splendor descobriu que estava com anemia e imediatamente iniciou o tratamento, porém a medicação não estava fazendo efeito em seu organismo, e mais exames foram solicitados, que diagnosticou mieloma múltiplo (câncer que atinge as células da medula óssea, responsáveis pela produção de anticorpos, que combatem vírus e bactérias). “Eu não tinha nenhum sintoma, além de dor nas pernas, para mim parecia ser algo normal, pois trabalho no comércio, porém eu já acordava com dor”, ressaltou Pascoal.

O tratamento oncológico iniciou na Uopeccan de Umuarama, no dia 22 de fevereiro de 2019 e terminou início do ano passado. Na luta contra a doença, ele teve alinhados para enfrentar o câncer, a esposa e os filhos. “No momento que o médico disse para nós o resultado do exame, o nosso mundo desabou. Com muita oração, meu marido venceu. O poder da oração muda o que não está ao nosso alcance”, destacou Cristina de Barros Splendor, casada há 41 anos com Pascoal Splendor.

Transplante de medula óssea

A família que sempre foi sinônimo de união, respeito e amor, além das sessões de quimioterapia teve que enfrentar mais uma etapa, o transplante de medula óssea. Por conta da pandemia Cristina acompanhou o esposo por alguns dias, Pascoal ficou quase um mês longe de casa e dos filhos. “Foram dias difíceis, eu e minha irmã não podíamos estar com meu pai. Entre uma ligação e outra tínhamos notícias dele, assim conseguíamos diminuir um pouco a saudade. O melhor presente que posso ter é ver meu pai bem e com a gente, sou grato a Deus por nos permitir estarmos juntos”, disse Daniel de Barros Splendor, filhou de Pascoal.

Daniela de Barros Splendor Espanholo, filha de Pascoal acompanhou a luta do pai contra a doença, e conta que vários momentos ela dividia sua força e fé para ele não desistir. “Não era fácil ver meu pai depois das quimioterapias por conta dos efeitos colaterais, e presenciar quem amamos, sofrendo dói demais, teve vezes dele querer desistir, abandonar o tratamento, porém eu sempre dizia “pai nadamos até aqui, o Senhor é forte/guerreiro, não podemos parar de nadar e morrer no mar, precisamos chegar na praia”, disse a filha.

Daniela deixou uma mensagem para os pais e familiares, que estão passando pelo tratamento do câncer. “Que vocês nunca percam a fé e nem a esperança, nunca desistam de lutar, por mais difícil que seja, busquem força em Deus”, finalizou.

Apoio psicológico

Lidar com o diagnóstico do câncer, não é uma tarefa fácil para o paciente, familiares e amigos, pois envolve vários sentimentos como dúvidas, medos e ansiedade no processo de adaptação e aceitação da doença. “Esse suporte é fundamental e indispensável, uma vez que quando podemos contar com uma rede de apoio, fica mais fácil focar em si e no tratamento, colocar-se verdadeiramente a disposição do paciente, requer tempo, cuidado, amor, mas, principalmente ética e respeito”, alegou a psicóloga da Uopeccan, Aline da Silva Freire.

Por mais que o câncer carregue um estigma negativo, manter uma postura positiva, mostrando o quanto o paciente é querido irá ajudá-lo a enfrentar esse momento de dor de forma mais leve e otimista. “Sentir-se amado, cuidado e aceito com todas as alterações que o tratamento do câncer faz toda a diferença no decorrer das sessões de quimioterapia e radioterapia, são muitas as mudanças físicas/corporais, emocionais e na rotina de todos em volta, ser resiliente frente a tantas situações não é fácil, mas é reconfortante e acolhedor ter para onde ir e para quem voltar”, complementou a psicóloga.

Superação

Hoje, Pascoal valoriza ainda mais a vida, e realiza acompanhamento na Uopeccan, segundo ele o temporal passou e agora ele pode comemorar junto com a sua família.  “Eu tive uma segunda chance, não foi fácil esse período, contudo sou grato pela vida e agradeço a Deus, minha família, equipe do hospital e todos que tiveram do meu lado no momento da dor”, agradeceu Pascoal.

Que essa história possa fortalecer os pais pacientes e familiares, que estão lutando contra o câncer. “Um período difícil por conta da pandemia, mas em nome da nossa instituição queremos parabenizar os pais pacientes, colaboradores e profissionais da saúde, todos aqueles que fazem a diferença na vida dos seus filhos”, enfatizou o presidente da Uopeccan, Leopoldo Furlan.