Dia do Farmacêutico: profissional é uma ponte entre o paciente e o medicamento

O farmacêutico é um profissional que pode trabalhar em diversos locais, entre eles, os hospitais. Hoje (20) é celebrado o Dia Nacional do Farmacêutico e a Uopeccan explica como a equipe atua, sendo uma ponte entre o paciente e a recuperação, ou ainda, oferecendo mais conforto para pacientes paliativos, através dos medicamentos indicados.

Na farmácia oncológica, a equipe fica responsável por preparar a quimioterapia de forma individualizada para cada paciente, visto que são levados em consideração diferentes fatores, como medicação, combinação e doses, de acordo com a doença, peso e altura do paciente, conforme explica o farmacêutico Rafael Moya, supervisor da farmácia oncológica. “Isto traz algumas vantagens ao tratamento relacionado à precisão das doses, evitando toxicidades por superdosagens ou subtratamento, quando usadas doses menores do que o necessário. O tempo de manipulação varia de acordo com a medicação, porém, de maneira geral, existe um processo complexo, que se inicia com cálculos e decisões farmacocinéticas e farmacodinâmicas pelo farmacêutico”.

Dessa forma, somente após a chegada do paciente ao hospital é que o medicamento é manipulado, pois não é possível deixar as doses prontas. Em 2022, foram manipuladas no Complexo Hospitalar Uopeccan (considerando as duas unidades), mais de 51 mil doses de medicamentos quimioterápicos.

Já na farmácia central, é feita a liberação dos medicamentos para os pacientes internados, que estão no pronto-atendimento, emergência (Uopeccan de Umuarama) e quando recebem alta. “Dispensar medicamentos, de forma segura e oportuna, é uma das atribuições principais de uma farmácia hospitalar, sendo que analisamos as prescrições e, se necessário, entramos em contato com o médico prescritor para verificar dose, posologia, duração do tratamento, duplicidade medicamentosa ou terapêutica”, detalha a farmacêutica Jessica DeLuca, supervisora da farmácia central em Cascavel. Ela completa ainda que existem mais de 300 medicamentos padronizados: comprimido, injetável, pomada, colírio, sachês, spray e soros.

Além disso, os profissionais também atuam na farmácia clínica, CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar) e CAF (Central de Abastecimento Farmacêutico). “O farmacêutico é responsável por todo processo hospitalar, como gerenciamento, seleção de medicamentos, programação, aquisição, armazenamento, distribuição, orientação e avaliação das prescrições médicas. Os farmacêuticos tem como principal função contribuir no processo de cuidado à saúde, melhorando a qualidade da assistência prestada ao paciente, promovendo o uso seguro e racional de medicamentos, a fim de garantir a redução de tempo de hospitalização”. Explica a farmacêutica Isabela de Azevedo, supervisora da farmácia geral em Umuarama.

Nas duas unidades, contamos com uma média de 90 colaboradores, entre farmacêuticos e auxiliares de farmácia.