Balões amarelos e ‘caixinha do bem’ tomam conta do Núcleo Solidário da Uopeccan transmitindo mensagem de amor ao próximo

O Núcleo Solidário do Hospital do Câncer Uopeccan de Cascavel recebeu uma decoração diferente neste mês. Os balões amarelos e ‘caixinha do bem’, com mensagens positivas trazem esperança e amor para os colaboradores da instituição.

O espaço foi montado pelo setor de telemarketing alusivo ao Setembro Amarelo, mês dedicado para prevenção do suicídio. “Estamos vivendo um momento que as emoções estão à flor da pele, os casos de depressões e ansiedade teve um aumento por conta da pandemia da covid-19. Essa foi uma forma de demonstrar que carinho gera carinho e isso pode mudar o dia de alguém, ressalta a supervisora do telemarketing de Cascavel, Elaine Assis

Todos que visitarem o setor do telemarketing, podem retirar a mensagem da ‘caixinha do bem’ e mudar o seu dia. A colaboradora, Anne Karoline Bertacini Novak, pegou a frase que diz: “Você teve piores incontáveis dias, mas deixa eu te contar, você venceu todos eles, não desista você chegará onde quiser, muito tempo não significa para sempre.”

Anne conta que colocou a frase no computador para olhar todos os dias, e lembrar o quanto é importante não desistir dos sonhos. “Eu gostei muito de ler essa mensagem, às vezes a gente começa o dia na correria, com preocupações e esquecemos no nosso valor.  Isso muda a nossa semana, é algo aconchegante carregado de sentimentos para iniciar o trabalho”.

Além dessa atividade diferenciada no mês de setembro, a Uopeccan conta com a Capelania Hospitalar que oferece assistência espiritual para os colaboradores, pacientes e parentes. A capelania não tem uma denominação religiosa, não se prega religião, mas a espiritualidade.

De acordo com o Reverendo Guinter Alencastro Hervella, que realiza o acompanhamento de forma voluntária há nove anos na instituição, durante a conversa a pessoa recebe conselhos e orientações para ajudar que haja paz em seus corações. “Trabalhamos com a espiritualidade em um nível que evidenciamos a empatia, foco na resiliência e valores do ser humano. Somos iguais, não existem diferenças entre nós. A capelania não dá receita para melhorar a vida, mas empresta os ouvidos para que o outro possa falar”.