O que é o Câncer?

O câncer é uma doença onde acontece um crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se para outras regiões do corpo (metástase), sendo também conhecida como neoplasia maligna.

A maioria das neoplasias surgem de uma única célula que sofreu alterações em seu mecanismo de regulação da divisão, multiplicação e morte.

Existem diferenças que distiguem células normais de células malignas, normalmente as células malignas exibem seu fenótipo(o exterior da célula) que conferem a essas células uma vantagem de multiplicação(proliferação) em relação as células normais: Auto-suficiência em sinais proliferativos, independente de outros fatores externos; Insensibilidade aos sinais antiproliferativos; escape da morte celular; potencial de divisão celular ilimitado(imortalidade); capacidade de formação de novos vasos sanguíneos para surpimento próprio e permanente(Angiogênese sustentada) e a capacidade de invadir outros tecidos vizinhos e tecidos a distância(metástase).

As células malignas adquirem este fenótipo maligno através de alterações genéticas que na sua grande maioria são causadas por fatores ambientais(fumo, obesidade, dieta, vírus) e em menor incidência de fatores herdados(herança paterna ou materna). As alterações genéticas em geral modificam o fenótipo das células normais tornando-as malignas, isto ocorre: através de alterações bioquímicas de proteínas e de
metabólitos celulares ou através de alterações em genes importantes na rede que comanda a proliferação, divisão e morte celular(mutações gênicas).

Em decorrência deste mecanismo celular que levou ao surgimento do tumor maligno, temos os tratamentos para esta doença que interferem no mecanismo básico que deu origem ao tumor: ou através de destruição do DNA celular(do genoma da célula) ou através de bloqueio de mecanismos bioquímicos que interferem com o crescimento do tumor. As drogas utilizadas para tratamento das neoplasias malignas interferem com o DNA da célula maligna, que são os quimioterápicos e as drogas que interferem com alteraçãoes bioquímicas de proteínas, que são chamadas de drogas alvos moleculares, que associados(quimioterapia e drogas alvos) podem controlar o crescimento tumoral.