HOSPITAL DO CÂNCER UOPECCAN DE CASCAVEL ATINGE A MARCA DE 100 TRANSPLANTES DE FÍGADO

O ambulatório especializado em transplantes atende toda a região oeste, sudoeste, noroeste, centro-oeste, no total mais de 200 municípios são beneficiados.

Desde julho de 2017, o Hospital do Câncer Uopeccan, de Cascavel – PR, está habilitado a realizar transplantes de fígado. E, durante este período, já foram realizados 100 procedimentos, número expressivo para um complexo hospitalar localizado na região oeste do Paraná.

O primeiro transplante de fígado, no interior do estado, foi realizado no dia 20 de setembro de 2017, nas dependências do Hospital do Câncer Uopeccan, de lá para cá 100 transplantes foram realizados pela equipe multiprofissional, sendo em média de 4 a 5 ao mês. “É um procedimento complexo que envolve muitas técnicas. Mas ficamos felizes com o resultado”, destaca o cirurgião Dr. Luis Cesar Bredt, que coordena o Centro Avançado do Fígado na Uopeccan. Atualmente a taxa de sucesso dos transplantes atinge a marca de 90%.

A incentivadora do credenciamento da instituição foi a Dra. Arlene Badoch, coordenadora da Central Estadual de Transplantes do Paraná (CET/PR), que junto a Direção do Hospital do Câncer Uopeccan, viu a necessidade do interior do estado em ter o Centro Avançado do Fígado, visto que muitos pacientes da região precisavam de atendimento especializado tanto para câncer de fígado como doenças graves do fígado. “O credenciamento deu início no ano de 2011, justamente para ter um atendimento especializado para os pacientes, visto que muitos deles são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e, muitos deles não tinham condições de buscar um tratamento na capital devido a distância e questão financeira, se viu a necessidade de ter um Centro Avançado de Transplante no interior do Paraná”, diz Bredt.

Segundo Dr. Luis Cesar, é um marco histórico que representa a concretização de um serviço de qualidade, “não é qualquer hospital que pode fazer esse procedimento”. Esta conquista se deve ao excelente desempenho da nossa Captação de Órgãos, composta pelos médicos Dr. Gabriel Margraf e Dr. Leandro Barros e ao enfermeiro Antoninho Pereira. Através de todo comprometimento da equipe, a Uopeccan vai se tornando autossuficiente.

 

Sobre o Transplante

O transplante hepático é uma cirurgia que consiste na retirada do fígado doente de um paciente para a colocação de um fígado saudável, podendo ser retirado por inteiro de um doador com morte encefálica declarada ou um fragmento de fígado de um doador vivo. Alguns dos motivos que levam ao transplante são a cirrose hepática, hepatite crônica por vírus B ou C; doenças que comprometem as vias biliares; doença hepática alcoólica; hepatite autoimune, doença hepática gordurosa não alcoólica, doenças metabólicas na infância; tumores hepáticos primários ou hepatites fulminantes (drogas, vírus), por exemplo.

 

Doação de Órgãos

A doação de órgãos pode ocorrer após a constatação de morte encefálica, que é a interrupção irreversível das funções cerebrais, ou em vida. Nos casos de a doação ocorrer após o protocolo de morte, a retirada dos órgãos é feita por meio de uma cirurgia convencional, já que o corpo é reconstituído normalmente, podendo ser velado sem nenhum problema.

Para que isso aconteça, no entanto, é preciso informar os familiares, pois somente os membros da família podem autorizar a doação. Com esse ato, é possível oferecer às 230 pessoas que aguardam nas filas de transplante a chance de elas terem uma vida confortável.

A Espanha é referência mundial quando o assunto é transplante – são registrados perto de 40 doações por milhão de população, no ranking mundial o Brasil ocupa o 28º lugar. No primeiro trimestre deste ano o Paraná obteve 41,3% de doação por milhão de população, ocupando o primeiro lugar no Brasil.