Equipes da Uopeccan são homenageadas em Curitiba

Atuação dos profissionais de captação, doação e transplante de fígado foi homenageada pela Secretaria de Estado da Saúde

O Paraná alcançou o primeiro lugar em doação de órgãos para transplantes no Brasil. Segundo dados da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), o índice de doações no Paraná contabiliza 44,2 % por milhão de população, entre janeiro e março de 2018. Em segundo lugar está Santa Catarina (33,7%) e o Ceará (29,7%).

Em solenidade que comemorou esse desempenho, na última quinta-feira (8), no Palácio Iguaçu, mais de  100 profissionais da Secretaria de Estado da Saúde, técnicos, entidades e representantes do Centro Estadual de Transplantes e Comissões Intra-Hospitalares estiveram reunidos. Na ocasião, foi apresentada a história da Central de Transplantes, índices e recordes e também foram entregues certificados de homenagem para os profissionais que trabalham na área.

DESTAQUES

O Hospital Uopeccan de Cascavel foi destaque durante a solenidade. Por isso, foram entregues dois certificados enaltecendo e valorizando o trabalho das equipes da UTI e também da Comissão Intra-Hospitalar para Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT). Os documentos foram entregues para as equipes nesta segunda-feira, 11 de junho. “Com o Centro Avançado do Fígado aqui no Hospital, nós conseguimos aproximar a temática da doação de órgãos da população. Antes, parecia muito distante você doar os órgãos de um ente querido, mas hoje, sabendo que os órgãos doados podem ser transplantados num paciente da nossa região, muitas pessoas já estão ficando ainda mais conscientes sobre a importância dessa doação”, pontua a gerente de serviços de saúde do Hospital, Gladys Mari Rodrigues.

DADOS

Desde o início de 2018, o Paraná já realizou 405 notificações de doações, sendo 125 efetivadas. Em 2017, no mesmo período, foram 261 notificações e 81 doações efetivas. Houve aumento de 54%. Se comparado aos primeiros meses de 2010, quando houve 22 doações efetivas no Paraná, o aumento é ainda maior e chega aos 468%.

No Hospital Uopeccan de Cascavel, cerca de 90 pacientes estão na fila para transplante de fígado. Número significativo que, segundo a equipe responsável pelo centro transplantador da instituição, só tende a aumentar. “Antes, a nossa região era de difícil acesso. Muitos pacientes que precisavam do transplante não tinham tempo de ir até Curitiba para buscarem o tratamento adequado. Hoje, eles têm acesso aos médicos especialistas, aos tratamentos e, por consequência, chegam muito mais perto de realizarem o transplante”, enfatiza o médico dr. Luis Cesar Bredt.

FALE SOBRE ISSO

No Brasil, a doação de órgãos depende do consentimento da família. Assim, o Governo do Paraná adotou a campanha “Doação de Órgãos – Fale Sobre Isso”, que incentiva as pessoas a comunicarem seus familiares mais próximos sobre o desejo de doar. “Na hora certa, eles serão os únicos que poderão fazer valer a sua vontade. Portanto, não perca tempo e informe sua família”, enfatiza a coordenadora do Sistema Estadual de Transplantes, Arlene Badoch.

 

Com a colaboração da Secretaria de Estado da Saúde